Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

sábado, 4 de abril de 2009

Alergias & Intolerâncias Alimentares

Existem dois tipos de reações provocadas por alimentos.

Uma é resultado de uma alergia real, enquanto a outra é resultado de uma intolerância.
A intolerância alimentar é realmente a mais comum das duas, mas as alergias alimentares são as mais graves. Neste post, explorarei os sintomas e causas das alergias alimentares e também como diferenciar uma alergia alimentar de uma intolerância.

O que é uma alergia alimentar?
Uma alergia alimentar é uma hipersensibilidade ou resposta anormal do sistema imunológico a certos alimentos. É uma sensibilidade que se desenvolve da mesma forma que as alergias a pólen ou fungos. Primeiro o seu corpo entra em em contato com o alérgeno (agente que desencadeia a alergia, nesse caso o alimento) para ter desenvolvido anticorpos contra ele. É por isso que uma pessoa pode ter comido amendoins uma vez e não ter tido reacção a este alimento. É somente na próxima vez que você comer esse alimento que o corpo reage, já que os anticorpos formados contra esse alimento, formados após o primeiro contato, vão esperar pela próxima vez.

Sintomas da alergia alimentar
Os sintomas de uma reação alérgica a um alimento vão de formigamento nos lábios até cãimbras abdominais, dificuldade de respirar e, mais seriamente, o choque anafilactico. A evidência da reação e sua gravidade podem variar dependendo da reacção do organismo. Se resultar dificuldade respiratória, a reação é considerada grave. As reações podem piorar progressivamente com exposições seguintes. Só porque uma pessoa teve reações brandas a um alimento alergênico não significa que a próxima reação não será grave ou potencialmente fatal.

Alergias alimentares em crianças
Como outros tipos de alergia, a tendência a ter alergias alimentares é herdada, embora não se herde um tipo específico de alergia. Certos alimentos, inclusive leite, ovos, trigo, amendoins, peixe, moluscos e nozes, são frequentes causadores de problemas. As crianças têm mais alergias alimentares que os adultos, especialmente a leite de vaca e amendoins. Muitas alergias alimentares em crianças são superadas por volta dos quatro anos. Reações a moluscos, peixe e nozes são mais comuns em adultos.

Quais alimentos são responsáveis por suas alergias?
Pode ser complicado identificar que alimento está causando seus sintomas. É normalmente óbvio, mas pode não ser, especialmente se a pessoa ingerir um alimento muito condimentado. Reações menos óbvias exigem um pouco de trabalho de detective...
As respostas às seguintes perguntas podem ser reveladoras:
Qual o momento da reação?
A reação acontece depois de comer um determinado alimento ou refeição?
O alimento estava completamente cozinhado?
O que mais foi ingerido (incluindo temperos, condimentos, bebidas...)?
Alguém mais teve os sintomas?
Evitar o alimento que causa os seus sintomas é o único "tratamento" para alergias alimentares, e isso é mais fácil de falar do que de fazer. Alguns alimentos, tais como leite e trigo, são encontrados em muitos alimentos e podem ser muito difíceis de evitar. Até mesmo os amendoins podem ser difíceis de evitar. Os amendoins e seus derivados são encontrados em bolos, biscoitos, doces em barra, cereais matinais, pães, comida oriental (o óleo de amendoim é popular), gelados, sobremesas, molhos e uma variedade de alimentos processados. Por essa razão as pessoas que já apresentaram reações alérgicas graves são aconselhadas a tomar epinefrina injectável que deve ser receitada por um médico e possivelmente anti-histamínicos para reduzir sintomas graves e ganhar tempo para procurar socorro médico.
As alergias alimentares são uma hipersensibilidade do sistema imunológico a certos alimentos. Identificar os sintomas e os alimentos responsáveis são parte importante da diferenciação entre uma alergia alimentar e uma intolerância.

Intolerâncias alimentares
A intolerância alimentar é uma reação química que não envolve o sistema imunológico.
Exemplos clássicos incluem a intolerância à lactose, síndrome de intestino irritável e azia. A deficiência de lactase é classificada como um dos tipos mais comuns de intolerância alimentar. Se seu corpo não tem enzima lactase suficiente, você não pode digerir corretamente a lactose, que é o açúcar encontrado naturalmente no leite e nos seus derivados. Os sintomas da intolerância à lactose incluem distensão abdominal, cólicas e diarreia.
Potenciadores de sabor, corantes para alimentos e conservantes estão também na lista das causas de intolerância alimentar. Talvez o exemplo mais conhecido seja o glutamato monossódico, um potenciador de sabor commumente usado em restaurantes e alimentos processados. Quando esta substância é ingerida em grandes quantidades, indivíduos sensíveis podem sentir rubor, dores de cabeça e dores no peito. Os sulfitos são outra causa comum de intolerância alimentar. Estas substâncias são produzidas naturalmente em alguns alimentos (tal como o vinho) e que são adicionados a outros para preservar a textura e prevenir fungos. Neste caso, as reacções alimentares são menos intensas e poderão variar consoante a predisposição do organismo ou a concentração da substância no alimento.




Consultora em Alimentação


Leia também:
O leite de soja deve ser sempre fervido?
Detective Mamã - Cuidados na compra das Papas
O que diz o Sr. Doutor - Doença Celíaca
Crianças alérgicas em Férias
O teor de cálcio nos leites vegetais

Email

Siga BabySol® nas Redes Sociais:



Receba as actualizações do Portal BabySOL®:

Introduza o seu email:


Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!