Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Obesidade Infantil...uma realidade!

A doença pediátrica mais comum do mundo...
Foi escolhido um único conceito para definir a obesidade em idades diferentes – na adolescência e na infância. Chamam-lhe obesidade juvenil e, segundo a Dr.ª Carla Rego, do Serviço de Pediatria do Hospital de S. João, no Porto «adquiriu, nos últimos anos, o estatuto da doença pediátrica mais comum, não só em países tecnologicamente desenvolvidos, como em países em desenvolvimento, constituindo um grave problema de saúde pública». Partindo desta ideia, podem sintetizar-se alguns pontos fundamentais que a sustentam. Considerada pela Organização Mundial de Saúde como uma doença crónica, a obesidade assenta em larga medida na hereditariedade e na modificação dos hábitos de vida das populações. Cada vez mais se regista o acesso fácil «a alimentos baratos e de elevada densidade nutricional», refere a médica.

Para além deste facto, no que diz respeito às crianças, a avaliação disponibilizada por vários autores sugere também uma redução do gasto energético na dependência da actividade espontânea diária e do exercício físico organizado.
Paralelamente, é notória a redução da actividade física associada a tarefas diárias, tal como é crescente o número de horas passadas a ver televisão e a jogar computador, registando-se um aumento do índice de inactividade da infância para a adolescência, sobretudo no sexo feminino.Estes são alguns dos factores ambientais que, em conjugação com uma base genética predisposta, esta especialista julga serem «responsáveis pela crescente prevalência da obesidade juvenil». Em 1997, um estudo europeu que incluiu Portugal estimava que cerca de 70% dos portugueses com mais de 15 anos era sedentário.
Carla Rego não tem dúvidas, pela revisão de estudos recentes publicados, que «o risco de obesidade na idade adulta é pelo menos o dobro para uma criança obesa, quando comparada com uma eutrófica.» Por outro lado, o risco é ainda maior se os progenitores forem obesos. «Na criança, quanto mais cedo se manifestar o excesso de peso maior será o efeito da obesidade parental no risco de obesidade futura do seu filho», adianta.
Fonte: Serviço Pediatria do Hospital S. João/Porto, Dra. Carla Rego, médica pediatra.
Deixo aqui este video, esperando que possa complementar a informação disponibilizada...


Dra. Solange Burri
Consultora em Alimentação


Leia também:


Sigam BabySol® nas Redes Sociais:



Email

Receba as actualizações do Portal BabySOL®:

Introduza o seu email:


2 comentários:

  1. Olá
    Gostaria de saber se a batata doce na sopa poderá agravar a situação de obesidade na crianças dos 0 aos 2 anos. Já li algumas coisas no entanto a literatura não é unânime.
    Obrigada Milena

    ResponderEliminar
  2. Olá Milena :-)
    Obrigada pelo seu comentário, interesse e participação!
    A sua pergunta é mto curiosa...eu diria que nim!
    Ou seja, a batata doce se incorporada numa refeição, esporadicamente, não poderá contribuir directamente para o excesso de peso, em crianças. Contudo, a sua ingestão, se contínua, estimula o paladar da criança pelo sabor adocicado, que poderá vir a procurá-lo com maior frequência, nessa idade e na subsequente, razão pela qual o seu consumo deva ser reduzido, e envolvido com outros legumes, para evitar este estímulo sensorial na criança.
    Espero ter ajudado.
    bjs e fique por perto!
    Solange Burri

    ResponderEliminar

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!