Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

BEBÉ - Papa lactea e não lactea...?

Tenho umas questões que lhe queria colocar...
O meu filho completou os cinco meses e até agora só bebe do meu leite, sem nunca ter precisado de suplemento. Daqui a duas semanas vai começar com as papas (indicação do pediatra) e sei que se podem comprar lacteas ou não lacteas, para fazer com o meu leite. O que eu gostaria de saber é qual a diferença entre as papas, se existe alguma vantagem em preparar as papas com o meu leite ou não.
Tambem gostaria de saber qual a quantidade de leite que o meu filho deverá beber, pois vou começar a trabalhar e tenho de deixar o leite, mas não sei que quantidade (ele pesa 6,400kg) (Mamã P., filhote 5 meses)

A vantagem da utilização de papas lacteas ou não lacteas, prende-se essencialmente com a necessidade, ou não, em introduzir outro leite (de origem não materna) na dieta do bebé... Esta necessidade está fortemente associada a casos de alergias à PLV, à intolerância à lactose ou à imaturidade do sistema digestivo do bebé, ainda muito pequeno, em se adaptar a outro leite, que não o materno.
As papas lacteas para as faixas etárias mais novas (1ªas papas - a partir dos 4 meses) são constituídas por leite de vaca totalmente fraccionado de modo a permitir a fácil digestão por parte do bebé que deixa então de fazer a amamentação em exclusivo. Assim sendo, e tendo em conta que o seu bebé já apresenta 5 meses e meio, e se os pais não possuirem quadros clinicos de alergias, então poderá experimentar dar a papa lactea.
Lembre-se contudo, que se trata da 1ª introdução de um alimento novo, depois do leite materno, pelo que toda a vigilância deverá ser assegurada.Fique atenta a vómitos, diarreia, abdomen inchado, borbulhas, irritabilidade...Se notar algum destes sintomas, avise o médico assistente e suspenda imediatamente o alimento suspeito.
Obviamente é dificil incentivar a mamã a tirar cerca de 120 ml de leite materno para preparar a papa não lactea, quando muitas vezes esta não está familiarizada com a bomba ou até não tem, após regressar ao trabalho, tanta produção de leite. Caberá a mãmã tomar esta decisão, face às circunstãncias gerais que a rodeiam.
Quanto à quantidade de leite a deixar, lamento mas não posso dar-lhe uma resposta precisa. Cada bebé tem o seu ritmo, mamando mais ou menos e isso é que condiciona a produção de leite na mamã. Aquilo que lhe aconselho é que esvazie os 2 seios com a bomba...normalmente os bebés mamam de um peito inteiro e um pouco mais do outro seio...se conseguir tirar dos dois já terá uma boa quantidade. Lembre-se apenas da importância de esvaziar TOTALMENTE cada seio, pois a parte final do leite é que é mais nutritiva e rica em gordura. Importante para o bebé e importante para a mamã que mais depressa recupera a linha!

Consultora em Alimentação


Leia também:
A esterilização por fervura é segura?

Artigo I Alimentação da mãe que amamenta



Siga BabySol® nas Redes Sociais:




Email

Receba as actualizações do Portal BabySOL®:


Introduza o seu email:


Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!