Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

sexta-feira, 29 de maio de 2009

A Amamentação e a Alimentação Materna...

O tema “Amamentação” é sempre rodeado de muitas dúvidas, seja pelos mitos que perduram no tempo e ao longo das gerações, ou simplesmente pela falta de informação, ou confusão desta, que existe ao alcance da mãe lactante.



Por esta razão, e porque o Portal BabySol® está a mudar, inicia-se hoje uma nova série de artigos, no âmbito da Amamentação, escritos pelas Conselheiras de Amamentação Bárbara Correia e Patrícia Paiva.

Este artigo é complementado com outros da mesma série:
A alimentação é um dos temas que, quando relacionado com a amamentação, tem gerado alguma polémica e que leva, por vezes, a mãe que amamenta a abandonar o aleitamento materno. Sobretudo, porque a ideia de que a mãe deve privar-se do comer o que gosta, desmotiva, e desfavorece a continuidade da amamentação bem como a forma cuidada, e saudável, com que deve fazê-lo. De facto, a alimentação da lactante e a amamentação, estão menos relacionadas do que a maioria das pessoas pensa… Tanto no que diz respeito aos alimentos proibidos como aos alimentos “pró-amamentação”, que favorecem a produção do leite materno…

Já pensou na deficiente, e confusa, informação que é disponibilizada em Portugal? O que está a falhar? Deixe-nos o seu comentário e promova a discussão neste espaço!

Estudos revelam que a dieta alimentar da mãe não está directamente relacionada com a qualidade e quantidade do leite que produz. Mas para esclarecer melhor este aspecto, considera-se pertinente abordar algumas questões que no seu todo resumem a importância da alimentação da mãe...
Não existem alimentos proibidos...

Existem algumas teorias, que não estão (ainda) totalmente comprovadas, sobre alguns alimentos que causam distúrbios intestinais (cólicas, diarreias, etc.) no bebé amamentado*.

No entanto, o impacto destes alimentos variam de bebé para bebé, pelo que não é possível criar uma lista de alimentos proibidos durante a amamentação, à excepção do leite de vaca que, quando consumido em excesso pela mãe pode causar distúrbios digestivos no lactente. Mas, tal como qualquer regra em Alimentação, tudo o que é ingerido em excesso evidencia-se num erro alimentar. Recomenda-se, contudo, que álcool e café café (devido à presença de cafeína), não sejam consumidos pela mãe que amamenta, embora no caso do café se a mãe desejar beber um por dia, pode fazê-lo, enquanto que para o álcool, a recomendação da Organização Mundial de Saúde é “ingestão zero”.
Na verdade, nenhuma mãe precisa de se privar de um pequeno prazer à
dieta equilibrada. Desde que essa não seja a regra. Especial excepção para os alimentos dos quais existe historial clínico de alergia, para o bebé e/ou para a mãe. Salienta-se ainda que, por uma questão sensorial, alguns alimentos alteram o cheiro, o sabor e a cor do leite materno, como o caso da cebola, não havendo, no entanto, qualquer malefício para o bebé.

*
A mãe deverá estar atenta a alguma reacção do bebé... Se desconfiar que algum alimento perturba o bem-estar do bebé, pode experimentar eliminá-lo da sua dieta durante 2 semanas e verificar assim se realmente esse alimento está na origem de algum mal-estar infantil. Se não verificar alteração no bebé, pode retomar o consumo do alimento suspeito.
Tome nota:

A alimentação da mãe deve ser o mais variada possível, permitindo uma boa ingestão dos diferentes tipos de nutrientes, e dando oportunidade ao bebé de experimentar novos sabores através do leite materno (ajudando assim a introduzir os diferentes sabores dos alimentos que a mãe consome).
A mamã que amamenta deve, como qualquer pessoa, independentemente se amamenta ou não, evitar excessos alimentares. Por outro lado, deve promover a ingestão de água, que é sem dúvida, uma boa forma de repôr os líquidos necessários ao bom funcionamento do nosso organismo e fundamental para uma boa produção de leite.
No leite materno, a maioria dos seus constituintes estão presentes nas mesmas proporções em diferentes mães, no entanto aa sua composição varie em função da dieta desta. Esta variação não é significativa se a mãe tiver uma alimentação equilibrada.

Bárbara Correia
Conselheira em Aleitamento Materno (OMS/UNICEF)

Image Hosted by ImageShack.us

Leia também estes artigos:

Conte-nos a sua experiência... Como foi a sua vivência enquanto amamentou? O que poderia partilhar com outras mães para que disfrutassem em pleno este estágio da vida?


Siga BabySol® nas Redes Sociais:



Email

Receba as actualizações do Portal BabySOL®:

Introduza o seu email:


7 comentários:

  1. O meu filhote tinha muitas cólicas, o que me levou a cortar com alguns alimentos da minha dieta, como couve flor, açucares e reduzi também nos hidratos de carbono. As cólicas dele despareceram completamente, não sei se foi dessas mudanças que fiz se foi do aero-om que o pediatra nos sugeriu.

    ResponderEliminar
  2. Minha querida,
    obrigada por iniciares este tema que tão importante é para todos as mulheres que amamentam. Apesar de ser a segunda vez que amamento, cada bebe é diferente e tem reações diferentes. De certeza que será muito proveitoso estas leituras para mim.
    Bem hajas.
    MJ

    ResponderEliminar
  3. Mais um excelente tema. Eu amamentei até há 2 semanas (13,5 meses da minha bebé) e para além da questão do alcóol e do café que referiu, evitei também o chá preto e o chocolate nos primeiros meses (pelo efeito excitante) e o amendoim (pois vi um artigo em que era referenciado como potenciando as alergias no bebé se a mãe o consumisse na gravidez ou amamentação). Os restantes alimentos comi sem restrições, de forma equilibrada.

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pelos vossos comentários!
    Fico contente com a interacção!
    fiquem por perto!

    Solange

    ResponderEliminar
  5. Tenho uma filha com quase 4 meses que por ter uma fenda no palato, engole muito ar e apesar de arrotar bem, sofre imenso com as cólicas.
    A minha sugestão fica aqui: chá de funcho, para a mãe que amamenta e para a bebé.
    No meu caso, ela bebe suplemento de leite de transição, fiz dois dias apenas com chá e agora ela até faz cocó mais vezes e queixa-se menos das cólicas...e eu acho que desde que o tomo até tenho mais leite.

    ResponderEliminar
  6. Olá, desde já quero dar-lhe os meus parabéns pelo seu excelente site e claro, fantástico trabalho que tem vindo a realizar. Fui mãe em Agosto pela 2ª vez e realmente verifiquei que em nada é igual... com o 1º filho amamentei sem qualquer problema e chegava a ter excesso de leito, que acabava por congelar. Com o 2º filho tive que recorrer em algumas situações ao leite artificial e recorrer a um suplemento alimentar que ajuda na produção do leite, e garanto-vos, que tem sido muito util.Em relação aos alimentos, sim acho que alguns são responsáveis pelas colicas, no meu caso detectei a couve lombarda, mas a ingestão de ar durante as mamadas também têm muita culpa nas dorzitas dos nossos bébés.

    ResponderEliminar
  7. Fantástico blog e com informação muito útil. Parabéns!
    Em relação a este tema da alimentação das mães que amamentam, eu subscrevo inteiramente a informação do artigo. Quando fiz formação na área da preparação para o parto (após ter sido mãe pela 1º vez), tive que estudar bastante sobre a amamentação, entre outros temas, e de tudo o que li construi a minha opinião que vai de encontro à que aqui é transmitida. A opinião do pediatra dos meus filhos também foi sempre neste sentido de que «os alimentos que ingerimos não passam para o leite», ele diz que nos devemos alimentar bem e comer de tudo de forma equilibrada, que as cólicas surgem muito devido à imaturidade do sistema digestivo e não por causa dos alimentos ingeridos pela mãe, e que o próprio choro, por qualquer desconforto, faz com que engulam ar o que também provoca gases. Isto pode ser apenas uma teoria dele, mas para mim sempre fez sentido, não só como mãe mas como profissional também.

    ResponderEliminar

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!