Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Mitos na Alimentação da Mãe que amamenta...

Continuando a publicação de artigos inerentes à Amamentação, falaremos hoje de outros aspectos focados na Alimentação da Mamã que amamenta. O Portal BabySol® pretende assim ampliar a abrangência dos seus conteúdos... Não deixe de ler o artigo já publicado:

Artigo I - A Amamentação e a Alimentação Materna
Artigo II - Mamã doente pode amamentar?

Artigo III - A amamentação em Bebés que bolçam


Estes artigos, escritos pelas Conselheiras de Aleitamento Materno (OMS/UNICEF), Bárbara Correia e Patrícia Paiva, pretendem evidenciar a lacuna de informação, a este nível, ao alcance da mamã lactante... Falar-se-á hoje sobre algumas falsas ideias associadas à Alimentação da Mãe que amamenta...

Existem alimentos que estimulam a produção de leite ou ajudam a mantê-la?

Existem alguns mitos, enraizados na Sociedade, que apontam alguns alimentos como estimulantes para o aumento da produção de leite. No entanto, estas teorias não estão totalmente aprovadas, existindo até alguma ambiguidade na perspectiva que não existe produção adicional com este ou aquele alimento...como é o caso de que acontece com o chá de funcho, conhecido por estimular a produção de leite materno mas capaz de trazer consequências negativas
se a sua ingestão for excessiva.
Outra situação a considerar é o sentimento de culpa, por parte das mães que não conseguem cumprir seguir a lista alimentar restrita, levando-a a abandonar a amamentação, por sentirem que não estão a contribuir positivamente para a saúde do seu filho.


A melhor forma de manter a produção de leite é continuando a amamentar, sempre que possível em em regime livre, sobretudo até aos 12 meses do bebé. Se o objectivo for aumentar a produção, recomenda-se que aumente também a frequência das mamadas, promova o contacto pele-a-pele com o bebé, e aumente também a ingestão de líquidos, preferencialmente de água.
Também é importante esclarecer que, a mulher (salvo raríssimas excepções) tem a capacidade inata de amamentar o seu filho, não havendo pois nenhum alimento imprescindível que tenha que ser consumido e que a produção de leite não depende da dieta mas das necessidades da criança, às quais o organismo materno se vai adaptando...

Deve a lactante ingerir suplementos vitamínicos para fortalecer o seu leite?
É importante esclarecer dois aspectos acerca deste assunto:

1 - O leite materno é o ÚNICO alimento 100% adaptado ao bebé e à idade em que este se encontra, razão pela qual não é necessário fornecer ao bebé leite de fórmula suplementar durante os primeiros 6 meses de vida. A partir desta idade, a alimentação deve ser complementada (e não suplementada) com alimentação sólida, ou seja, oferecer outros alimentos após o bebé ter mamado.

2 – Os suplementos vitamínicos, direccionados para a mãe lactante, não influenciam directamente a qualidade do leite materno. Assim, só haverá alguma vantagem em tomar suplementos vitamínicos se a própria tiver algum tipo de carência (ex. vitamina B12 se for vegetariana estrita), pelo que deverá ser o médico assistente a recomendá-lo.

Sabendo que a amamentação consome mais energia da mãe, deve esta aumentar as calorias que ingere diariamente?

Tal como já foi referido na introdução no
Artigo I, a alimentação da mãe lactante tem pouca influência na produção de leite. Só no caso de desnutrição severa, é que o leite poderá ser afectado afectado, caso contrário, continuará perfeito para nutrir por completo o bebé até aos 6 meses, e até mais tarde quando, em paralelo, se iniciar a alimentação sólida.
A produção do leite materno consome cerca de 200 calorias das reservas do organismo da mulher para além de 500 calorias da alimentação diária da mulher. Mas estes dados são apenas cálculos teóricos, tendo-se revelado excessivos para algumas mulheres e insuficiente para outras... pois varia em função do seu metabolismo.
O recomendado é que a mãe se alimente de acordo com as suas necessidades individuais, tendo como referência as orientações de uma alimentação saudável e equilibrada.

Tenha em consideração...
A alimentação da mãe que amamenta é importante? Claro que sim... mas pela saúde e bem-estar da mãe e não pela influência que têm na qualidade e quantidade de leite que esta produz para o seu filho.
Além disso, uma mãe com uma alimentação correcta, transmitirá ao seu filho, hábitos alimentares saudáveis. Por isso mesmo, aconselhamos as mulheres que receberam ou se preparam para receber uma nova vida ao seu cuidado, que vejam a gravidez e a amamentação como uma oportunidade de corrigirem erros alimentares e contribuírem, da melhor forma, para a sua saúde dos seus filhos e da restante família!
As recomendações são praticamente idênticas às orientações de uma alimentação saudável para qualquer pessoa, tendo em conta a sua estrutura física, cultura, estilo de vida e gostos pessoais.

Bárbara Correia
Conselheira em Aleitamento Materno (OMS/UNICEF)

Image Hosted by ImageShack.us

Já pensou no contrasenso de informação que existe? Qual a sua experiência sobre este assunto Deixe-nos o seu comentário e promova a discussão neste espaço!

Leia também estes artigos:


Sigam BabySol® nas Redes Sociais:



Email

Receba as actualizações do Portal BabySOL®:

Introduza o seu email:


Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!