Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Crónica Alimentar III - Transportar alimentos na viagem de férias...

Considero que está na altura de publicar mais uma Crónica Alimentar, desta vez destinada ao calor que se faz sentir e às bactérias que podem vir atrás...

Não deixe de ler as Crónicas publicadas anteriormente:

Chega o Verão, chega o calor e as férias estão próximas! Está na altura de começar a organizar toda a panóplia de bagagem para que, chegado o grande momento, tudo esteja a postos para a viagem e para curtir cada momento com a família...

Mas se vai para um espaço alugado, ou uma casa de amigos, saiba que tem que ter alguns cuidados adicionais...Com o calor, chegam também mais bactérias e mais riscos alimentares. Por isso, para que tudo corra bem, sobretudo se leva miúdos, é preciso ter cuidados redobrados...

E porque devemos garantir que NÓS também vamos ter férias, deixo aqui algumas dicas que não hesito em pôr em prática cada vez que o calendário me permite disfrutar de bons momentos com a familia! Então cá vai:
1 - A planificação da alimentação das férias deve ser criteriosamente pensada, e bem pensada, ANTES da partida! Faça uma lista do que tem que levar e o que pensa comprar no destino. Averigue onde poderá fazer essas compras e lembre-se dos feriados locais e dos fechos ao domingo que provocam, por vezes, algumas decepções;
2 - Reduza as quantidades ao mínimo, isto porque faz calor (os produtos estragam-se mais depressa), no destino o espaço no frigorífico é reduzido e a tentação para comer no restaurante é muita! Afinal, férias são férias!
3 - Lembre-se que no dia da partida restam sempre algumas coisinhas no frigorífico que lamentámos estragarem-se...por isso levamos connosco SE não tivermos tido a atenção prévia de evitar o seu consumo...comece a restringir compras 2 semanas antes de ir para garantir que fica o menos possível no frigorifico e não há desperdícios depois;
4 - Aproveite pois a oportunidade para renovar o stock da sua arca congeladora e gaste tudo o que poder antes de ir de férias. Ideal mesmo é que a deixe desligada para depois repôr tudo fresquinho, quando vier de férias;
5 - A congelação nos pequenos frigoríficos (de 3 estrelas), salvo se houver poucos alimentos no seu interior, não é muito eficiente. Como têm baixa capacidade de congelação (2-3 estrelas*) são pouco eficientes e comprometem a qualidade dos alimentos, no momento do seu consumo... Nahhh! Portanto, o ideal é que se meta no seu interior o que vem congelado de casa...e mesmo assim deve ser o mínimo possível!
6 - A estratégia para as sopas é esta: salvaguardar 1 semana antes (sim porque depois surgem outras prioridades!) que as sopas estão todas prontas: preparar várias variedades e dividir em doses individuais. Congelar na parte mais fria do congelador que temos: têm que ficar "em pedra" para sobreviverem à viagem e, a pelo menos, 2-3 dias depois de iniciado o processo de descongelação. O mesmo se aplica a alguma fruta cozida que se pretende levar;
7 - Cerca de 1 semana antes, deve-se pôr também 2-3 bons termoacumuladores no congelador garantindo igualmente que estarão aptos a cumprir a sua eficiente, e importante, tarefa!;
8 - Leve coisas rápidas para cozinhar...os grelhados fazem as delícias de qualquer um (e poupam trabalho!) quando o calor aperta...o segredo está nos condimentos...nada mais fácil! Sugiro que comprem coxas de frango, bifes tenros e carne aos cubos para espetadas (os legumes juntar frescos no momento) e congelar tudo, embalado por refeição e etiquetado. Não aconselho que temperem nesta fase. Apenas o suficiente para 3 dias. Tudo para transportar congelado: carne, sopas e 2 porções familiares de arroz branco também;

Só no último momento, depois do carro carregado, é só nessa altura que se tiram as coisas todas para a mala térmica de viagem, garantindo que os termoacumuladores ficam distribuídos ao longo do seu conteúdo.
Tudo já bem congelado e com termoacumuladores nada, mas mesmo nada, se estragará nem derramará! E com sorte, e uma boa mala, nada entrará em processo de descongelação ;
Chegados ao destino é prioritário guardar tudo rapidamente no frigorífico onde irão então descongelar lentamente. Se tudo estiver ainda bem congelado, algumas doses de sopa poderão ir para o congelador...assim aumenta a variedade do/a filhote/a depois.

9 - Os acompanhamentos devem ser os mais fáceis: batatinhas primor que cozem com a casca e são mto saudáveis e massas (búzios, esparguete colorida, etc).
10 -Os víveres urgentes devem ser comprados, no destino, nos primeiros dias de férias: leite, fruta, saladas mas sempre com a ideia que o stock caseiro, de congelados, deve ser gasto em 3 dias. Só depois deve comprar mais carne, peixe e legumes para novas sopas.
11 - Levar ingredientes para marinadas (de qualidade* e diferentes ervas aromáticas, e especiarias, que possibilitam sabores variados) pois logo que a carne recém comprada esteja temperada, o tempo de refrigeração aumenta mais 2 dias...boa?
12 - Peixe, o mais fresco possível se a situação geográfica o permitir, senão é recomendável que compre ultracongelado no destino das férias!
13 - Lembre-se que, tanto no regresso como na chegada, chegam cansados e com fome. Analise se comer fora, nesses dias, pode ser de facto a melhor solução. Por vezes, um piquenique, surte melhor efeito, deixando todos mais relaxados. Transporte apenas uma refeição pronta a comer, de acordo com a sua decisão: carne à bolonhesa, frango ou carne assada, etc. Esta deverá ser a única refeição que transportará fresca e por isso deve ficar logo por cima, na mala térmica.
Dica 1: não esquecer a varinha mágica! A não ser que tenha deixado de triturar...
Dica 2: se tiver um talho de confiança, não hesite em fazer lá a encomenda da carne que já poderá pedir para vir toda cortadinha...boa?
Dica 3: Não esquecer que os recipientes de armazenagem da comida cozinhada deve ser apto para o micro-ondas (se no destino existir)...assim reduz-se a loiça para lavar ;-)

Consultora em Alimentação

Leia também:

Siga BabySol® nas Redes Sociais:



Email

Receba as actualizações do Portal BabySOL®:



Introduza o seu email:


3 comentários:

  1. Solange,
    tem algum artigo sobre as ervas aromáticas na alimentação dos bebés? Procurava saber quais e como devo inserir (e etcs.)
    O meu bebé de 8 meses começa a fartar-se de sopa.Há que inventar, não é?
    Bem haja.
    Ana

    ResponderEliminar
  2. Ah, outra coisa que há muito estou para perguntar: quando devo inserir massa e arroz na alimentação do meu filho?
    Obrigada.
    Ana

    ResponderEliminar
  3. Olá Ana
    De facto está previsto, para breve, mais um artigo sobre as ervas aromáticas, afinal tenho falado tanto delas :-)) mas de momento, tenho este no blog:
    http://solangeburri.blogspot.com/2008/04/o-meu-cantinho.html
    O arroz pode ser introduzido a partir dos 4 meses e a massa (se não apresentou intolerância ao glúten) a partir dos 8 - 10 meses, portanto parece-me oportuno oferecer agora ao filhote, sem ser passado...
    Obrg pelos comentários Ana.
    Fique por perto!
    Solange

    ResponderEliminar

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!