Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

segunda-feira, 15 de Junho de 2009

Notícias - A Segurança do Peixe gato...



Está a circular pela internet um rumor associado à segurança alimentar do peixe gato... por isso resolvi editar esta notícia publicada na passada semana pela Autoridade máxima que responde por estas questões...Tomem nota:

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) resolveu prestar um esclarecimento relativo à segurança do peixe-gato , também conhecido por panga, com o objectivo de clarificar eventuais questões associadas à segurança do consumidor.
Panga ou peixe-gato são nomes comuns para a espécie Pangasius hypophthalmus, peixe de água doce que está a ser produzido em aquacultura, maioritariamente no Vietname e também na China.Os sistemas de produção deste peixe são intensivos, e de acordo com dados do sector, as importações deste peixe na União Europeia têm crescido a um ritmo acelerado.
Em 2006 foram importadas aproximadamente 123,000 toneladas de filetes ultracongelados de peixe-gato para países europeus, sendo a Espanha um dos maiores importadores.
O peixe-gato é um peixe de carne branca, que se encontra no retalho em filetes frescos ou congelados sem espinhas e pele, o que, juntamente com o baixo preço a que é comercializado, contribui para que seja um peixe muito consumido.
Algumas associações do sector das pescas têm referido, relativamente às importações em grande escala de panga, que se está a gerar uma situação de concorrência desleal, que faz reduzir o preço do pescado autotocne.
Foram, também, levantas suspeitas relativamente à eventual toxicidade deste peixe, informação esta relativa à falta de segurança deste produto, que não foi prestada por qualquer organismo oficial.
Portugal notificou, em 2005, a contaminação de filetes de P. hypophthalmus com malaquite verde, tendo este peixe também sido notificado por contaminação bacteriana por Listeria monocytogenes em filetes descongelados.
A Comissão Europeia (CE) foi questionada pelo Parlamento Europeu relativamente a esta matéria, tendo, em Setembro de 2008, aprestado esclarecimentos. Em 2007 e 2008 foram emitidas, um total de 7 notificações, sendo que 5 destas foram relativas à presença de resíduos de medicamentos veterinários em P. hypophthalmus.
Neste mesmo período foram emitidas 57 notificações referentes a produtos provenientes da China, com contaminação de resíduos de medicamentos veterinários, sem que nenhuma fosse relativa a este peixe.
Perante esta situação foram impostas à China medidas adicionais pela CE, que se referem à análise obrigatória para pesquisar a presença de cloranfenicol, nitrofuranos e seus metabolitos, violeta-cristal e malaquite verde.
Este tipo de medidas não foi aplicado ao P. hypophthalmus do Vietname por se considerar que a situação relativamente àquele país não o justificava.
Após a detecção de substâncias proibidas ou não autorizadas pelos PIF, e a emissão de notificações, a CE impõe controlos reforçados, sendo os 10 próximos carregamentos da mesma origem testados.
Para o caso da presença de resíduos em P. hypophthalmus do Vietname, os Estados-Membros reforçaram o controlo sobre o produto, tendo procedido a análises do carregamento seguinte.
As medidas impostas pela CE conduziram à redução das notificações para um total de 4 em 2007 e 1 até Setembro de 2008.
Finalmente, as informações disponíveis parecem indicar que o risco associado a P. hypophthalmus não será diferente do que está associado aos produtos de aquacultura em geral. Fonte: ASAE.

Blá, blá, blá, blá, para dizer que o risco existe, sim senhora, mas igual a todos os riscos associados ao consumo de peixe proveniente de aquicultura...Claro está que devem ter o cuidado de não "comprar gato por lebre" e certificarem-se que NÃO estão a comprar pescada mais barata...Portanto mamãs, nada de acreditarem à primeira no que lêem na internet, combinado? Excepção à regra para sites como o da ASAE e o de BabySol, pois claro! :-))))
Ficaram com dúvidas? Disparem nos comentários!
Consultora em Alimentação

Leiam também estes artigos:


Sigam BabySol® nas Redes Sociais:



Email

Receba as actualizações do Portal BabySOL®:

Introduza o seu email:


BannerFans.com

11 comentários:

  1. Olá boa tarde.
    Confesso que também recebi um mail a alertar para o consumo desse peixe e fiquei a pensar...
    É que no ano passado comprei várias vezes filetes de peixe frescos com um belissimo aspecto, super macios e branquinhos...no entanto a maior parte das vezes senti um ligeiro sabor a bolor. Tanto que o meu marido passou a recusar comê-los...acabei por desistir de comprar porque metade ia parar ao caixote do lixo!!
    Isto foi o ano passado...muito antes do mail começar a circular. Na altura não fazia ideia de que peixe eram feitos os filetes, só agora é que juntei as peças do puzzle.
    Por isso acredito que o conteudo do mail seja verdadeiro!

    Obrigado pela atenção.

    laurindamatos@sapo.pt

    ResponderEliminar
  2. Olá Laurinda
    Obrigada pelo seu comentário.
    De facto, esta situação do bolor que poderá, esporadicamente verificar-se, pode ser devida a um armazenamento deficiente. Esta situação pode ser devida ao descontrolo que poderá nas condições que o fabricante deve controlar MAS que podem ocorrer em situações muito particulares e não seres, pois, generalizadas.
    Espero ter ajudado.
    bjs

    Solange

    ResponderEliminar
  3. Acabei de receber o tal mail a falar do peixe-gato e também eu fiz uma pesquisa sobre o assunto. Afinal, comemos os filetes ou não? Parece que muita gente fala em gosto a bolor...

    ResponderEliminar
  4. Bem, Gena, pela avaliação que a ASAE faz, eu não vejo razão para não se comer.
    De facto, não se compreende bem se o sabor a bolor:
    - É característico até do sabor do peixe;
    - Ou é resultado da deficiente armazenagem.
    Eu pessoalmente compraria e cozinharia se a rotulagem do produto me oferecesse confiança.Isto porque quando há, por exemplo, um nº lote, há rastreabilidade e portanto os cuidados do fornecedor no seu transporte e acondicionamento, são mais exigentes.
    Espero ter ajudado.
    Obrigada pelo comentário e ... fique por perto!
    BabySol

    ResponderEliminar
  5. afinal o que é que comemos? peixe gato,perca,dourada,robalo.O que é mais seguro peixe gato importado com autorização da União europeia ou a carne do animalzinho que esteve tão doentinho e só se safou porque o sr doutor lhe deu muitas injeçõeszitas e depois o dono até matou porque ele até podia não estar curado e morrer,eu acho que se deve comer disto tudo mas variar em milhares de coisas boas que temos no mercado.

    ResponderEliminar
  6. Pois, é isso mesmo "pires", dá que pensar...
    Eu por cá sugiro variar o mais possível a alimentação e estar atenta a alguns cuidados ao realizar as compras e ao confeccionar os alimentos, o resto é impossível controlarmos...
    bjs e obrg pelo comentário!
    Solange Burri

    ResponderEliminar
  7. Obrigado pelo esclarecimento.

    A cada email que nos chega, devemos, antes de mais (e principalmente antes de os reenviar para toda a nossa lista de contactos) certificarmo-nos da sua veracidade. Que é coisa simples, tal como o BabySol o fez.

    ResponderEliminar
  8. Já apanhei bastantes peixe gatos mas posso dizer que só de os apanhar me metem nonjo eu não era capaz de comer tal animal

    ResponderEliminar
  9. Quando vamos ao restaurante e pedimos filetes de pescada ou linguado já não comemos peixe gato?

    ResponderEliminar
  10. Afinal tudo tem um preço...este é o preço da globalização

    ResponderEliminar
  11. Ora essa de comer filetes de pescada, linguado, espada preto, etc. e tragar peixe-gato, é mais que normal. Só não vai nisso, quem conheçe bem peixe, e isso será uma margem muito pequena de pessoas.Em peixes semelhantes no sabor, ainda pode passar, como o caso da garoupa e do pampo Se houvesse uma fiscalização com coimas bastante elevadas, os mixordeiros não arriscavam tanto. Os ditos servem os filetes e vá de os temperar com muita pimenta, para o seu sabor ficar diferente, ou com outros produtos.

    ResponderEliminar

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!