Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

terça-feira, 27 de abril de 2010

A importância nutricional das algas


No seguimento do trabalho que desenvolvi no meu Mestrado sobre a concepção de um produto funcional para consumo infantil contendo algas - Salsichas de Legumes com Algas - têm sido várias as pessoas que me contactam para conhecer a vantagem nutricional das algas na dieta infantil. Irei, pois, hoje focar-me sobre essa questão tendo em conta a necessidade, cada dia maior, de oferecer alimentos ricos em proteína vegetal e livres, tanto quanto possível, de níveis de gordura sem interesse nutricional.


Apesar das algas fazerem parte da dieta tradicional nos Países Asiáticos, como o Japão e a China, o seu consumo na Europa, ainda que já implementado, sobretudo em França e Espanha, não alcança Portugal, país banhado pelo Oceano Atlântico e muito rico, em toda a sua costa e nas ilhas também, por uma enorme diversidade de algas comestíveis. Recentemente, nos Países Ocidentais, as algas têm merecido o reconhecimento de serem um alimento muito nutritivo, benéficas para a saúde, o que tem despertado muito interesse sobretudo pela comunidade vegetariana.

De seguida apresentam-se alguns factos que pretendem elucidar o interesse em incorporar as Algas na alimentação...

Que algas podem ser consumidas?

As algas são um tipo de plantas que cresce em água salgada mas, tal como a vegetação terrestre, necessitam de luz solar para se desenvolverem. Existem mais de dez mail variedades de algas, muitas das quais são indicadas para consumo humano. Nori é uma alga vermelha, consumida correntemente no Japão e muito utilizada para confeccionar o sushi. Kombu e wakame são tipos de algas castanhas que são amplamente usadas no Extremo Oriente, principalmente na sopa. As algas verdes, como a alface do mar e a relva marinha, bastante consumidas na Europa por apresentarem um sabor menos acentuado, podem ser consumidas cruas na salada ou cozinhadas na sopa. Outras algas são utilizadas em pratos gastronómicos como a hijiki, alga marinha, esparguete do mar, dulse e musgo irlandês. Habitualmente, as algas são comercializadas na forma seca para preservarem a grandeza nutricional que as caracteriza.

Qual o valor nutricional das algas?

Um estudo recente analisou os níveis de nutrientes de uma variedade de algas edíveis e comparou as porções típicas (8g de alga seca/pessoa) com a ingestão diária recomendada, e com alimentos comuns.

Sais Minerais

As algas absorvem os minerais do mar, que é rico em muitos minerais e oligoelementos. O cálcio e o ferro tendem a acumular-se em muito maior quantidade nas algas do que nas plantas terrestres além da biodisponibilidade que beneficia o organismo. Por exemplo, 8g de uma porção seca de kombu fornece mais cálcio do que um copo de leite, e uma porção de dulse contém mais ferro do que 100g de um bife do lombo de vaca (embora este não seja tão bem absorvido como o ferro presente nas algas).

As algas também fornecem grande quantidade de iodo, que é essencial para a função tiroideia, assegurando uma boa manutenção do sistema hormonal. No entanto, algumas variedades de algas apresentam quantidades de iodo excessivas pelo que se recomenda estabelecer um limite máximo seguro para os produtos da UE que contenham algas, assegurando deste modo a protecção do organismo.

São ainda muito ricas em sódio, mineral que deve merecer um consumo bastante controlado. Nesse sentido, a alga deve ser muito bem demolhada antes de ser confeccionada devendo existir um particular cuidado para não acrescentar mais sal ao prato culinário.

Fibra

As algas sao ricas em fibras solúveis que não são digeridas no intestino e que ajudam a aumentar a sensação de saciedade e portanto interessantes para complementar a refeição que acompanha. Pode ser comparada com a fruta, pois 8g de uma porção de algas secas fornecem cerca de uma oitava parte das necessidades diárias de fibra, semelhante à quantidade existente numa banana.

Outros nutrientes

As algas contêm uma quantidade pequena de gordura e algumas variedades são muito ricas em proteína vegetal. Muitas contêm níveis elevados de aminoácidos essenciais, semelhantes à leguminosas secas e ovo. Vitamina A, C e E também são encontradas nas algas em quantidades úteis, e também são uma das poucas, e interessantes, fontes vegetais de vitamina B12, o que as torna num complemento importante na dieta vegetariana ou vegan.

Importantes benefícios para a saúde

Apesar da sua milenar aplicação, as algas começam agora a ser fortemente estudadas na Alimentação Ocidental, abandonando o papel discreto que possuem em produtos alimentares processados como gelatinas, outras sobremesas, etc. e integrarem agora com um papel mais relevante. Estudos preliminares sugerem que certos polissacarideos chamados fucoidanos, tipicamente encontrados em algas castanhas, como a kombu e wakame, tem uma acção anti-cancerígena, verificando-se em várias espécies o elevado efeito anti-oxidante que possuem.

Em conclusão...

As algas são excelentes fontes de fibra, minerais e fitonutrientes. São alimentos seguros para saúde, no entanto deve-se ter algum cuidado com algumas variedades que contêm elevados níveis de sódio, iodo e metais pesados razão pela qual se recomenda a aquisição de produtos com controlo de qualidade assegurado sendo que, a origem japonesa, representa um pilar máximo de referência. No geral, as algas podem ser utilizadas numa dieta variada a partir dos 12 meses de idade, ou desde que a criança se encontra adaptada à dieta familiar e pode substituir o arroz, batatas assadas e a salada ou serem acrescentadas moderadamente a sopas, caldos, cozidos e guisados.

Dra. Solange Burri
Consultora em Alimentação

Ler também:
Salsichas de Legumes para crianças


Sigam BabySol® nas Redes Sociais:



Email
Receba as actualizações do Portal BabySOL®:

Introduza o seu email:



BannerFans.com


2 comentários:

  1. Olá Dra. Solange
    Como sempre, um artigo extremamente actual e interessante. Obrigada pelo seu trabalho.
    Alexandra Rodrigues.

    ResponderEliminar
  2. olá,
    gostei imenso do workshop que deu no sábado.
    espero continuar a manter o contacto e aprender cada vez mais.
    obrigado.
    cumprimentos,
    Adriana

    ResponderEliminar

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!