Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O seu filho está...gordinho?

Somos bombardeados, atualmente, com diversa e insistente informação sobre os cuidados que devemos ter na Alimentação, sobretudo pela constatação que aquilo que comemos no nosso dia-a-dia promove o nosso bem-estar hoje mas sobretudo porque prolonga a qualidade da saúde que teremos no decurso da nossa vida.

Este benefício é tanto mais importante quanto mais novo for o indivíduo pelo que, as crianças merecem cuidados particulares, até porque representam um segmento populacional de risco, e onde as necessidades nutricionais e energéticas são bastantes específicas e exigentes. Além disso, está hoje provado cientificamente que é nos primeiros anos de vida que é moldada a conduta alimentar da criança, nessa fase da vida bastante focada na família e quando ainda possui menor autonomia.

Este processo de aprendizagem alimentar é determinante não só para possibilitar o seu perfeito desenvolvimento, a nível físico, inteletual e cognitivo, limando-se também a relação que estabelecerá com os alimentos, mas efetivamente também garantirá a extensão de saúde que adquirirá na manutenção do estado do seu organismo.
Numa época de marketing alimentar tão agressivo, e disponibilidade alimentar tão abundante (e a preços tão atrtivos), como acontece nos Países Europeus, é fácil perceber porque Portugal apresenta uma das taxas mais elevadas de obesidade infantil e pior, em faixas etárias muito precoces, nomeadamente a partir dos 6 anos de idade da criança.

Quando precocemente, o excesso de peso se instala no organismo infantil, mais cedo são detetados problemas cardiovasculares, respiratórios, osseos, diabetes, hipertensão, de mobilidade e não menos importante, de integração social e satisfação pessoal. Portanto, o que aparentemente há uns anos o povo se regozijava dizendo "gordura é formosura", hoje avalia-se a seriedade de acompanhar a criança gordinha, e até bem-disposta...para depressa estabilizar o seu peso e impedir que, quando a vida adulta chegar, e o normal ritmo de vida com um metabolismo basal mais brando, não seja pois agravado a sua condição de saúde.

Mas, para isso acontecer, os Pais, terão que reconhecer que a criança está em perigo quando, ainda muito pequena, já apresenta excesso de peso e que, certamente, lhe dará um aspeto simpático e bem-disposto face até à graça que lhe acham e porque não, também à satisfação dos seus caprichos alimentares. No trabalho de consultoria que desenvolvo nas Escolas e Jardins de Infância denoto uma relutância extrema da Família para reconhecer que o excesso de peso nas suas crianças é alarmante. Ainda...Sobretudo, porque não existe evidência de que a criança está com problemas de saúde ou a caminhar para essa condição. Além disso, e apresentando visivelmente boa disposição, é difícil motivar os pais para a necessidade de alterarem o padrão alimentar que se pratica na dieta diária daquela criança.
E se pensarmos que, surpreendentemente, as crianças hoje em dia realizam menos atividade física, porque estão menos expostas ao ambiente que as rodeia, como ir a pé para a escola com os Pais, brincar no recreio quando não há aulas, ocupar os tempos livros com jogos tradicionais, e ainda se preenchem ludicamente com a televisão, o computador e jogos interactivos, então Profissionais de Saúde e Educação, têm de intervir depressa.

Por um lado, os professores e educadores devem estar atentos para as crianças com excesso de peso que têm em sala, e reunir fundamentos e argumentação necessária para sensibilizar, e apoiar, os Pais, focando sempre que representam pessoas com comportamentos sociais, emocionais e culturais que não podem ser desvinculados do apoio diário, na alimentação infantil e porque não familiar, que devem instigar. Por outro lado, a Família - Pais, Avós, Tios, etc. - têm que perceber que há cuidados na alimentação que têm forçosamente que ser implementados, pelo bem da criança. Eis os mais urgentes:

1 - Oferecer a sopa no início do almoço e do jantar. Tornar pois este alimento atrativo e diverisficar;
2 - Oferecer fruta sempre no final da refeição. Para isso regrar quantidades de sopa e prato principal para que consiga consumir este alimento tão saudável no final;
3 - Impedir o consumo de refrigerantes e sumos. Em alternativa, beneficiar o consumo de água e de leite;
4 - Impedir que a criança "pique" entre refeições, e a fazê-lo, evitar a todo o custo, alimentos salgados e doces;
5 - Evitar alimentos processados demasiado ricos em açúcar e sal.

Aprender a dizer "não" à criança é a palavra de ordem da Família. Com sensatez, firmeza...e exemplo! E muitooooooooo miminho. Evitar ter alimentos pouco saudáveis à disposição da criança e enraizar uma relação saudável, e de respeito, que temos devemos ter com a alimentação. Além disso, para benefício de toda a Família, promover uma maior atividade física tão benéfica para todos, na era da tecnologia.

Aos Pais quero deixar ainda um forte apelo: amar os filhos, fazer tudo por eles, não pode ser deixá-los assumir a alimentação que desejam porque as crianças não têm noção das consequências que, por causa disso, sofrerão. Se o seu filho é gordinho, considere pedir ajuda profissional, ler mais sobre alimentação saudável e até melhorar o padrão alimentar de toda a Família.

Passar tempo de qualidade, e durante o maior período de tempo possível, é a recompensa. Vale pois a pena considerar...

E como costumo dizer…Espero ter ajudado :-)

Dra. Solange Burri
Consultora em Alimentação em Infantários e Escolas
Email: solange.burri@gmail.com






Com vista à promoção de uma Alimentação Saudável na Famílias, este artigo tem autorização da autora para ser publicado em sites de Escolas, Creches e Infantários. Apenas se solicita que não altere o seu conteúdo e se preserve a sua origem/autoria.


Siga BabySol® nas Redes Sociais:
  Email
Receba as actualizações do Portal BabySOL®:

Introduza o seu email:




 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!