Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O que deve saber sobre alimentação de crianças!

Deixo hoje este artigo que considero pertinente para assegurar o sucesso da diversificação alimentar infantil já que se constata frequentemente que há crianças que começam muito tarde a adaptação à dieta familiar:

1 - A mamã, ou pessoa a cargo das refeições do bebé, deve ser bastante dinâmica e variar sempre as formas de apresentação dos alimentos até conquistar o Bebé. Sugiro que, por exemplo, se o Bebé não gosta de peixe assado, experimente alguns dias depois dar-lhe purezinho de peixe camuflado com legumes, ou um souflée de peixe;

2 - Importante também compreender que, o facto de o Bebé rejeitar hoje um alimento não quer dizer que a mamã o deva eliminar da dieta. Pelo contrário! O Bebé está, dia a dia, a evoluir o seu paladar, pelo que a apetência ao alimento rejeitado deve sempre ser estimulada, trabalhando como já disse, no ponto 1, também a forma como é apresentada;

3 - Muito importante também, é ter em conta que o Bebé tem dificuldades habituais em deglutir. Por isso, a mamã deve ajudar, e acrescentar mesmo algum molho, na hora de triturar ou migar. Razão pela qual, as receitas sugeridas nos menús são, no geral, muito cremosas e à base de refogados leves, realizados com azeite ou creme bechamel;

4 - Outro aspecto, imensamente importante, é não só o efeito saudável que o azeite tem no intestino no Bebé pelo que, em quantidade reduzida, deve fazer parte da rotina diária do bebé. Outro aspecto essencial é conhecer que grande parte das vitaminas que os legumes aportam, são fixados na gordura dos alimentos e portanto só acrescentando gordura na comida do Bebé, ao passar com a varinha mágica, é que estaremos a olhar pela saúde deles.

5 - Por último, gostaria de chamar também a atenção para a necessidade de oferecer sempre fruta crua à refeição, o que permite a absorção do ferro, tão importante para fortalecer o sistema imunitário. Portanto, dentro das variedades que o pediatra autorizou, estimule sempre o seu consumo, preferencialmente crua, e trabalhe com combinações para convencer o filhote.

Há pois razões para não ficar tão preocupada com os alimentos rejeitados pela criança. Convém, sim, estar atenta, insistir subtilmente e se houver mesmo uma relutância persiste, então deixar a ideia de parte algum tempo. Mas nunca se esqueça: exemplo e rotina são chaves de ouro?

Qual a sua experiência sobre este assunto? Deixe o seu comentário.
Dra. Solange Burri
Consultora em Alimentação em Escolas e Infantários
(Mestrado na área da Nutrição Infantil)
Leia também:

Siga BabySol® nas Redes Sociais:
Email

Receba as actualizações do Portal BabySOL®:



Introduza o seu email:



1 comentário:

  1. A minha bebe tem neste momento 2 anos e 6 meses nunca me rejeitou num alimento ate a data.... come e gosta de tudo graças a deus!!!! a unica coisa que agora tenho de a contrariar e que nao pode comer tomate e ela adora,pois medica pensa que ela pode ser alergica estou neste momento a espera de uma consulta na gastro pediatrica pk ou e o tomate ou o leite pois andou a me fazer fezes com um pouco de sangue....

    ResponderEliminar

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!